Debortoli pede urgência em instalação de sinalização em viaduto da BR 163

O presidente da Câmara Municipal de Sinop, Ademir Debortoli (MDB), solicitou com urgência à secretaria de Obras do município que seja instalada sinalização horizontal e vertical (inclusive quebra-molas) nos cruzamentos da Avenida Governador Julio Campos com as ruas Colonizador Ênio Pipino e João Pedro Moreira de Carvalho. Tal trecho fica no entroncamento da BR -163, no cruzamento do viaduto, fator que o torna muito perigoso, além de ser extremamente movimentado, dando acesso a duas universidades.

O local ainda tem tráfego intenso de caminhões e carretas, por serem vias na lateral da rodovia, o que também aumenta os riscos de acidentes. “Diversos acidentes já foram registrados nessa localidade e os riscos de outros permanecem. Vários estudantes usam essa via diariamente, em horário de pico. Com a sinalização os motoristas são obrigados a reduzirem a velocidade e a prestarem mais atenção na via, o que contribui para a diminuição de acidentes e consequentemente aumenta a segurança no tráfego para esses jovens que passam por ali diariamente e para todos os usuários”, defende o vereador.

Para o engenheiro civil e de segurança do trabalho, Júlio Henrique Verdu Garcia, a sinalização de trânsito é uma importante ferramenta de comunicação, além de grande utilidade para a segurança das pessoas. “Existem vários tipos de placas de sinalização que são posicionadas de forma a limitar, advertir, orientar e organizar o trânsito, disciplinando tanto os pedestres quanto os condutores de veículos”, destaca Garcia.

O pedido foi feito por meio de indicação aprovada por unanimidade na sessão ordinária de segunda-feira (11), da Câmara de Sinop.

Em outra indicação direcionada também à secretaria municipal de Educação, Esportes e Cultura, Debortoli pede a instalação de no mínimo um aparelho de ginástica, adaptado ao uso exclusivo por pessoas com deficiência, em academias ao ar livre, em parques e centros comunitários do município, para que todos tenham acesso a pratica esportiva conforme determina a Constituição Cidadã. “A inclusão das pessoas com deficiência deve ocorrer em todos os espaços sociais, até mesmo nos parques e nos centros comunitários, os quais são lugares de recreação e pratica de atividades físicas, tão recomendadas para o bem estar e a saúde da população em geral”, conclui o parlamentar.